Lumos: Janeiro 2017

segunda-feira, janeiro 23

obrigada


Ontem partilhei com as minhas melhores amigas o que ando a sentir ultimamente. Não é um assunto fácil e sei que elas já tinham percebido que algo de errado se passava, mas decidiram dar-me tempo e espaço para que fosse eu a dar o primeiro passo. A atitude delas e o facto de saber que elas vão fazer da minha luta a delas, fez-me sentir tão amada e valorizada que o meu coração quase explodiu com tanto amor. Hoje sinto-me um pouco mais leve porque agora não preciso mais de usar uma máscara, pelo menos não com elas. Um dia vou agradecer a todas essas pessoas individualmente aqui, mas hoje vou guarda-las no melhor sítio e que é só meu, o coração. Todo este apoio só me faz ver a sorte que tenho e o quão raro é encontrar pessoas assim tão boas. Sou sem dúvida uma sortuda e sabe bem dizer e sentir que apenas a opinião delas importa. Irei partilhar este assunto com vocês, mas primeiro tenho de ver quais são os meus limites sobre este tema. Se uma doença já é difícil, com duas será muito mais. Gratidão é sem dúvida a palavra de hoje. 

Por falar em doenças, pensei em partilhar por aqui o meu plano alimentar e talvez o plano que sigo no ginásio, que têm imensos exercícios que podem ser feitos em casa. O que acham disso?  

sexta-feira, janeiro 20

Doença de Crohn | O que decidi mudar em mim

Desde que fiquei doente que decidi que alguma coisa tinha de mudar. Tinha de mudar a minha alimentação, mas principalmente a minha maneira de pensar sobre o que se passava comigo. Mas hoje vou falar-vos do que mudei para ajudar o meu corpo. O meu peso sempre foi mudando, estive extremamente magra, porque o meu corpo nem uma sopa aguentava e estive (e estou) extremamente gordinha. Atenção que quando digo que estou extremamente gordinha é para a minha altura e principalmente para a doença que tenho. Ainda antes de saber o que tinha decidi começar a ser seguida por uma nutricionista e decidi inscrever-me no ginásio. Durante 2 meses ia religiosamente 5 vezes por semana treinar, cheguei a emagrecer e sentia-me melhor em todos os aspectos. Quando troquei de trabalho abandonei tudo. O mau estar voltou, voltei a não conseguir dormir, as dores apareceram em força. 6 meses depois de ter desistido, voltei em força à "dieta" e ao ginásio. Vai ser uma verdadeira luta porque tenciono perder 14 kgs. Pode não ser muito à vista de uns, mas para as pessoas doentes como eu pode ser bastante complicado. O stress não me deixa emagrecer, o não dormir também não e nos dias em que estou cheia de dores não consigo treinar nem cumprir o meu plano alimentar. Quanto à "dieta" só me custa por ser uma pessoa extremamente gulosa, mas já aceitei que tenho de deixar isso para outra pessoa. Decidi mudar e decidi ser a melhor versão de mim mesmo. Hoje vou fazer o 3º treino da semana e amanhã farei um novo plano físico. Vamos lá ver se é desta que o força, foco e fé passa a ser a minha hastag de eleição no instagram

Como o blog está no início, os post ainda são um pouco genéricos. Tenciono partilhar convosco tudo o que conseguir sobre este assunto porque posso conseguir ajudar alguém, e isso aconteceu com a minha última publicação e fico muito feliz! Prometo que dentro de pouco tempo este tipo de posts vão ser cheios de conteúdo e ajuda, ajuda essa que eu também estou a ter dos profissionais que me acompanham e das pessoas que são o meu pilar todos os dias. Se tiverem alguma questão que me queiram colocar, alguma ideia sobre algum post, por favor partilhem comigo! E obrigada por todo o apoio que tenho recebido por aqui e pelas redes sociais do blog e particulares. Vocês são mesmo o melhor do mundo :) 


quarta-feira, janeiro 18

Doença de Crohn | Sobre ter uma doença auto-imune

Tenho uma doença auto-imune. Dito assim até parece um daqueles segredos manhosos da casa dos segredos, mas juro que é verdade. Demorei 5 anos para saber o que tinha e durante todos esses anos o que mais disseram aos meus pais era que eu queria atenção. Aos poucos os médicos começaram a ver que atenção era coisa que não me faltava e o que eu precisava mesmo era de ajuda, afinal alguma coisa se passava comigo. Vómitos, dores de estômago, crises de vesícula, idas ao hospital com direito a todo o tipo de drogas fixes que raramente faziam efeito, consultas e exames até perder a conta. 5 anos depois, descobriram que tenho uma doença auto-imune, a doença de Crohn. Foi uma das coisas que 2016 me trouxe e não a considero má porque finalmente sei o que tenho. Acabaram-se as incertezas, acabaram-se os pensamentos do "tu queres é atenção", vieram os pedidos de desculpas e os "agora tens de ter ainda mais cuidado". Ao longo do tempo vou explicar-vos em que consiste a doença e o que faço para a tentar controlar. Nem todos os dias são bons, mas todos os dias são de luta. É preciso alguma coragem para dizer em voz alta que se está doente e acho admitir que estamos doentes é um grande passo nas recuperações. A minha doença não tem cura mas não desanimo com isso, faz com que ainda acredite que um dia será possível. A força, o foco e a fé são palavras de ordem no que toca a este assunto, e é como dizem, o que não nos mata torna-nos mais fortes!

segunda-feira, janeiro 16

1 ano depois

Ontem fez 1 ano que fiquei licenciada no curso dos meus sonhos, Ciências da Comunicação. Foi um caminho duro, difícil mas agora vejo que o caminho mais difícil é este que estou a percorrer agora. No meu e-mail conseguem ver-se imensos currículos enviados e zero respostas. Tenho a sorte de ter um emprego, mas custa cada dia mais fazer algo que não foi para o que estudei. Desde que me lembro que quero ser jornalista, a primeira palavra que li foi num jornal, como acredito muito no destino, aquilo foi só o primeiro sinal. Só me sinto bem a escrever, a comunicar, a fazer os outros rir e a ajudar. Um dos meus maiores lemas é Insistir, Persistir e nunca desisti. Acredito que um dia a minha grande oportunidade vai aparecer, até lá resta-me continuar a lutar. Sei que infelizmente são cada vez mais pessoas na minha situação, mas um ano passado e começa a ser cada vez mais difícil manter o ânimo. 


sábado, janeiro 14

Este dia vai ficar marcado para sempre na minha memória como o dia em que criei o meu novo blog. O My favorite what if foi uma das melhores experiências que tive, com ele cresci e aprendi mas o Lumos é algo muito pessoal e pensado. Para quem não me conhece sou a Catarina, tenho 23 anos e sou uma típica rapariga do norte. Sou licenciada em ciências da comunicação e desde pequena que sonho em ser jornalista, sendo que o que mais quero é trabalhar em rádio. A fotografia é uma grande paixão minha e a minha companheira é a Chiquinha. Sou uma Potterhead assumida e dedico maior parte do meu tempo a ler livros. Este blog vai ser a minha casa, entrem e sintam-se à vontade porque ganharam uma nova amiga.