Lumos

sábado, dezembro 30

doismiledezassete

O que dizer de ti e do que passamos? 2016 foi um ano do caraças e pensei que ias ser igual. Atenção, não estou desiludida contigo, quanto muito estou comigo, mas este foi o ano das aprendizagens.
Começaste mal, porque começar o ano de coração partido não foi o que desejei enquanto comi os meus 12 pinhões, mas foi assim que começou. Agora vejo que me terem partido o coração foi o melhor que me fizeram, porque aprendi muito e me fez ser quem sou agora. Alguém mais confiante, segura de si mesma, do que quer e não quer, com mais paciência e dedicação, com mais amor próprio, com mais segurança, com mais de muito e menos de outro tanto.
Foi o ano em que conheci o amor da minha vida, o ano em que vi o que ser amada significa realmente e o quão bom é amar tanto e ser amada de volta de maneira tão plena e gratificante.
Foi o ano das lutas. Lutei (e continuarei) a lutar contra duas doenças que levaram tanto de mim este ano, que achei que iria apenas sobrar uma sombra, mas com a ajuda dos que mais amo ainda aqui estou. Foi o ano em que tive de dizer stop a uma parte importante da minha vida para me curar, porque trabalhar é óptimo, mas sem saúde não se faz nada. Entre baixas, despedimentos, idas constantes a consultas, muitas análises e exames, muitos "lamento muito", muitos "precisas de descansar" , "tudo vai melhorar" eu ainda estou aqui. Entre ataques de pânico e ansiedade constantes, entre medicação tão forte que me fez engordar 20 kgs, entre ataques de Crohn, entre tudo isso e tudo aquilo que ainda não consigo dizer, eu estou aqui.
E estou aqui graças ao amor incondicional da minha família, dos meus melhores amigos, do meu namorado, dos meus animais e do amor que finalmente sinto por mim. Também me despedi de certas pessoas este ano, como o meu melhor amigo diz, fazer um detox à nossa lista de "amigos" é muito importante também e posso dizer que nestes últimos dias do ano cortei alguém da minha vida que nunca pensei ter de o fazer pelo bem que me fez este ano, mas teve de ser. Mas também foi o ano onde encontrei gente que me fez (re)nascer e onde eu vi que os anjos da guarda existem mesmo.
Este ano foi o ano em que criei este blog, onde criei o meu projecto de fotografia que tanto estimo e amo.
Este foi e ainda é o ano onde as palavras faltaram e ainda me faltam para falar de certos temas, mas que em 2018 vão ter o seu destaque.

2017 foi um ano de luta, por isso vem 2018 e boa sorte, dá o teu melhor, porque eu vou estar pronta para ti.